Nossas redes sociais

Digite o que você procura

Geral

Terceira parcela do Auxílio Brasil incluirá 3 milhões de famílias

Confira o calendário de pagamento, que inicia no dia 18 junto com Auxílio Gás

Com a medida, o total de famílias atendidas aumentará para 17,5 milhões. Foto: Agência Brasil

Prevista para começar a ser paga na próxima terça-feira (18/1), a terceira parcela do Auxílio Brasil incluirá 3 milhões de famílias, anunciou ontem (13/1) o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Com a medida, o total de famílias atendidas aumentará para 17,5 milhões.

Com a promulgação da emenda constitucional que permitiu o parcelamento de precatórios (dívidas reconhecidas definitivamente pela Justiça), o valor da parcela passou para R$ 400. As famílias incluídas no programa receberão o Auxílio Brasil por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite a movimentação de depósitos em contas poupança digitais, até o recebimento do cartão.

As novas famílias não precisarão ir às agências para validarem o cadastro no Auxílio Brasil. Isso porque a inclusão no programa baseou-se em pedidos antigos processados pelo Ministério da Cidadania. “Esse cadastramento foi realizado, no mesmo modo que no auxílio emergencial lá atrás. Então, a validação já foi realizada”, explicou.

Auxílio Gás

O presidente da Caixa também anunciou que o pagamento do Auxílio Gás, que fornecerá uma ajuda temporária para famílias mais pobres comparem gás de cozinha, ocorrerá nos mesmos dias que o do Auxílio Brasil. As famílias foram escolhidas conforme as regras definidas pelo Ministério da Cidadania.

O Auxílio Brasil seguirá o calendário do antigo Bolsa Família e pagará as parcelas nos dez últimos dias úteis de cada mês, com base no dígito final do Número de Inscrição Social (NIS). O pagamento da parcela de janeiro começará no próximo dia 18, para beneficiários com NIS 1, e terminará no dia 31, para beneficiários com NIS de final 0.

Confira o calendário:

Final do NISDia do pagamento
118 de janeiro
219 de janeiro
320 de janeiro
421 de janeiro
524 de janeiro
625 de janeiro
726 de janeiro
827 de janeiro
928 de janeiro
031 de janeiro

Cerca de 108,3 mil famílias de municípios do norte de Minas Gerais e do sul da Bahia atingidas pelas enchentes em dezembro começaram a receber o Auxílio Gás no mês passado. Com duração prevista de cinco anos, o programa beneficiará 5,5 milhões de famílias até o fim de 2026 com o pagamento de 50% do preço médio do botijão de 13 quilos a cada dois meses. Atualmente, a parcela equivale a R$ 56.

Para este ano, o Auxílio Gás tem orçamento de R$ 1,9 bilhão. Só pode fazer parte do programa quem está incluído no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), tem pelo menos um membro da família que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC). A lei que criou o programa definiu que a mulher responsável pela família terá preferência, assim como mulheres vítimas de violência doméstica.

Pedro Guimarães também anunciou o depósito do retroativo da cota adicional do auxílio emergencial de 2020 para cerca de 823,4 mil pais solteiros. O crédito será feito por meio do aplicativo Caixa Tem na mesma conta poupança digital usada para receber o auxílio emergencial.

Leia também

Geral

Valor mínimo para cada família é R$ 400

Geral

O Auxílio Gás também é pago hoje  às famílias inscritas no CadÚnico com NIS final 4.

Geral

Repasse mínimo a cada família é de R$ 400; veja o calendário de pagamento

Geral

Segundo a Caixa, cada família receberá um repasse mínimo de R$ 400.

Geral

O benefício é de, no mínimo, R$ 400 por família.

Geral

As datas de pagamento seguem o modelo do antigo Bolsa Família.

Geral

 Em novembro, o valor médio do Auxílio Brasil foi R$ 224,41.

Geral

O valor médio do benefício é de R$ 217,18.

Geral

O pagamento aos beneficiários do programa inicia na próxima quarta-feira.

Geral

Famílias que cumprirem determinadas condições poderão receber seis benefícios como acréscimo ao benefício básico.

Geral

"Hoje, o programa permanente contempla 14,7 milhões de famílias, e pretendemos chegar a quase 17 milhões de famílias", prometeu o ministro João Roma.