Nossas redes sociais

Digite o que você procura

Eventos

Loja Maçônica Remanso completa 125 anos de fundação em São Pedro do Sul

A Sessão foi conduzido pelo Venerável Mestre Leandro da Rocha Cabral. Foto: LMR / Divulgação


No dia 27 de outubro a Loja Maçônica Remanso de São Pedro do Sul, completou 125 anos de fundação e na noite da segunda-feira (30) em seu Templo, recebeu a visita de autoridades maçônicas e representantes de Lojas de cidades vizinhas e da 21° Região Maçônica, para uma bela Sessão Comemorativa, seguida de confraternização em seu salão de Ágape Walter Herz.

A Sessão foi conduzido pelo Venerável Mestre Leandro da Rocha Cabral e estiveram presentes o Delegado da 21° Região Maçônica, Tarcisio Anacleto Moro, representando o Soberano Grão-Mestre do Grande Oriente do RS – GORGS, Celito Cristofoli, juntamente com o Delegado Adjunto Paulo Pedrazzi e Deputados da Assembleia Legislativa Maçônica.

Na ocasião, foi apresentado um histórico da Loja Remanso, desde sua fundação até os dias atuais, pelo historiador e poeta Moisés Silveira de Menezes, membro ativo da Loja Remanso (leia abaixo). A seguir, vários integrantes da Remanso receberam honrarias concedidas pelo Grande Oriente do Rio Grande do Sul (GORGS). Finalizando a noite comemorativa, a Loja Remanso proporcionou um jantar a todos os visitantes.

                           RESUMO HISTÓRICO DA  LOJA MAÇÔNICA REMANSO.

Moisés Silveira de Menezes

                 As pesquisas sobre as lojas que constituíram o princípio da Maçonaria Gaúcha, assim como quaisquer entidades antigas, em suas fases iniciais se torna muito difícil principalmente pela escassez de documentos nos arquivos das potências maçônicas e nas lojas mais antigas.

                 Fundada em 27 de Outubro de 1898 sob a coordenação do Grande Oriente do Brasil, registrada sob o nº 639.Recebeu a Carta Constitutiva com data de 0701/1899. Segundo Dienstbach foi fundada por 28 irmãos liderados por David Correia Sanches de Faria.

                Em documento manuscrito enviado ao GOB na data de 1º de Março de 1900, a direção da Loja à época, afirma:

                 Resumo do estado da Oficina no exercício de 1900.Por nosso último quadro a Loja contava em 27 de Outubro de 1898    18 membros

                Considerando essas divergências por não se haver encontrado a ata de Fundação, teríamos como fundadores os seguintes:

David Correa Sanches de Faria

Cel. Timótheo Alves Paim

Ten. Cel. José da Rocha Vieira

Maj. Emygdio Orestes da Silva Torres

Flores Doeler

Jacob Busz

João Damasceno Xavier

João Domingues Flores

João Hipólito de Oliveira

Jorge Henrique Timm

Leonel Rodrigues da Rosa

Lizardo Nunes de Abreu

Ludjero Pereira

Ortílio Silveira Terres

Tancredo Penna de Moraes

          Torquato Mâncio de Souza.

                      A Loja Remanso foi fundada no final do século XIX, em plena disputa por maior número de Lojas entre o GOB e o GORGS recém fundado, o que perdurou até o primeiro terço do século XX.A Embora a ideia primeira fosse o fortalecimento da República*, mas é inegável que a criação do GORGS acirrou essa disputa e assim foram fundadas Lojas Maçônicas por todos ou quase todos rincões e vilarejos do Rio Grande do Sul.

               Com quatro fortes lideranças do Federalismo, Timótheo Alves Paim, Leonel Rodrigues da Rosa, Jorge Henrique Timm e José da Rocha Vieira era mais natural que a Loja ficasse mais próxima do GOB, onde ficaria mais à vontade que no recém criado GORGS muito ligado ao castilhismo.

     Outro fator que pode explicar a filiação ao GOB foi a iniciação do Cel. Timóteo Alves Paim, Venerável Mestre, na Loja Regeneração do e do Maj. Emygdio Orestes da Silva Torres, 1º Vigilante, na Loja Rocha Negra de São Gabriel, ambas do GOB.

                     As feridas da revolução de 1893 ainda não cicatrizadas e o castilhismo avançando para fortalecer-se, muitas vezes valendo-se de perseguições e favorecimentos pessoais com o uso da máquina pública que vão perdurar e se aperfeiçoar com o borgismo e o getulismo, muito bem pode explicar sucessivos abatimentos de colunas, reerguimentos e trocas de Potência das Lojas Maçônicas nesse momento histórico.

                                Para termos uma ideia da disputa por fundação de Lojas, na região central, conforme Malgarin, em 06.09.1894 a loja Paz e Trabalho, que era a continuação da Loja Bocca do Monte, vinculada ao GORGS, reiniciava suas atividades, e este reinício das atividades maçônicas na região serviu de incentivo, estímulo para a fundação de novas lojas por parte das duas potências nesta ordem cronológica:

                  Em 13.02.1898, em Villa Rica, atual Júlio de Castilhos, foi fundada a Loja Aurora da Serra sob os auspícios do GORGS; em 01.06.1898 em São Martinho da Serra, a loja Aurora da Serra pelo GOB; em 09.06.1898, em São Martinho da Serra, a loja Paz e Harmonia sob a égide do GORGS; em 06.08.1898, em Santa Maria, funda-se a Loja Deus e Humanidade sob orientação  do GOB; em 03.11.1898, em Jarí, a loja Os Homens Perante Deus nº2, pelo GOB; em 29.10.1898 funda-se em Tupanciretã a loja Fidelidade sob os auspícios do GORGS, e em 09.09.1899, viria a ser fundada em Jarí a Loja União e Progresso sob os auspícios do GORGS.

Sua Carta Constitutiva foi expedida em sete de janeiro de 1899 e sua Regularização em vinte e cinco de fevereiro de 1899.Nesse momento em que o grupo já se definiu pela aquisição de um terreno para a construção de seu Templo, então já estruturada como Loja.

Em vinte e seis de dezembro de 1901, pelo ato nº 64 do GORGS, ocorreu sua primeira migração, e ela foi incorporada a esta Potência.Em 20de Agosto de 1909, conforme Dienstbach, o GORGS passa a ser confederado ao GOB em suas atividades. Assim somente a partir dessa data (1909) a Loja Remanso passa a remeter correspondência para o GORGS.

No Quadro de Veneráveis da Loja consta de 1899 como Venerável até 1910 o Irmão.’.  Rodolpho Ehlers no entanto fica visível que houve um grande período de adormecimento entre 1901(passagem para o GORGS-acordo GOB/GORGS) porque consta um acordamento da Loja em 1910 ou uma reorganização como refere documento assinado pelo Irmão.’. Oscar João Frederico Bender.

Em 06 de Junho de 1910 encontramos uma reunião de acordamento da Loja Remanso (lista de assinaturas presentes a seguir), presidida pelo eminente Cel. Fidêncio de Souza Mello, abnegado maçom e ativo líder daqueles tempos com ações identificadas em muitas Lojas da Região Central do Estado,

           Em 29 de Outubro de 1910, o Venerável informava em extenso relatório de próprio punho que considerava a Loja nem acordada nem adormecida e expunha suas razoes para essa afirmação, entre elas o pouco número de Irmãos residentes na sede  do município. Interessante é a análise sobre o momento da fundação:

           “ essa Loja foi fundada no ano de   1898(salvo engano)quando havia uma verdadeira loucura pela fundação de lojas ,quando não se cogitava da qualidade maçônica dos profanos e arrebanhava se para fazer número …….criaram essa loja e conseguiram…sessenta e tantos obreiros ,conseguiram também um funcionamento regular por três ou quatro anos, mas desde o primeiro ano já tinha igualmente começado a debandada…”

O Venerável Oscar João Frederico Bender em 31 de Março de 1911 em oficio relatorial ao GORGS onde entre outros atos comunicava a concessão por unanimidade de Membro Honorário da Loja Remanso ao Irmão.’.Cel. Fidêncio de Souza Mello. Nesse relatório esclarece o Irmão Oscar João que por motivos conhecidos mas que não cabe mencionar a Loja suspendeu suas atividades em 1907 retomando na histórica sessão, já referida, presidida por Fidêncio de Souza Mello.

               Em 13 de Setembro de 1911 em reunião, presidida por Oscar João Frederico Bender e secretariada por Edmundo Castelo Branco e Silva, a própria Loja Remanso em Ata encaminhada solicita transformar-se em Triãngulo em virtude do reduzido número de obreiros residindo junto a sede do munícipio. Assinam esse pedido de transformação ou rebaixamento com eles mesmos referiam á época.

Em 1915, ano em que a fusão GORGS-GOB se desfez (30.06.1915), o Triângulo acabou por adormecer segundo Dienstbach.

Em primeiro de dezembro de 1917 foi expedida Carta Constitutiva, mais uma vez sob a égide do GORGS, com Cadastro nº 101.Pelo Ato 273 de 1º de Dezembro de 1917 foi nomeada comissão responsável pelo reerguimento da Loja Remanso. 

Em 08 de Janeiro de 1928 a Loja Remanso foi fundadora da Grande Loja do Estado do Rio Grande do Sul, junto a outras Lojas lideradas pela Loja Rocha Negra de São Gabriel. Tomou o número 05 entre as Lojas fundadoras da nova Potência.   Em 22de Abril de 1928 a Loja Remanso envia telegrama desligando-se do GORGS e no dia 23 do mesmo mês e ano por oficio, cópia a seguir, confirma se u desligamento informando estar filiada a GLOJARS.

Em 24 de Janeiro de 1938 chegaram a São Pedro do Sul, conforme registra Leal, as “Irmãs Ursulinas” vindas da Alemanha para dirigir o Colégio Sant’Ângela , que apouco fora fundado com funcionamento no prédio da Loja Maçônica Remanso, oferecido graciosamente .

        O Colégio acima referido foi inaugurado a 13 de Fevereiro de 1938 funcionando em regime de internato. Mais tarde para reaver a posse do seu prédio a Loja Remanso enfrentou longa negociação com o Pároco local (João Michlinghoff),o mesmo da época do acordo de cedência do imóvel.

                    Em 02 de Maio de 1944 há um manifesto ao GORGS, por parte de maçons antigos, onde solicitam o acordamento da Loja. Em 06 de Julho outro manifesto ao GORGS nos mesmos termos e em 02 de Agosto foi solicitado o envio de Irmão credenciado para a regularização. Em quatro de dezembro de 1944, a Loja Remanso abandona as Grandes Lojas solicitando seu reingresso no Quadro de Lojas do GORGS recebendo o registro número 169 em sua Carta Constitutiva.

                         Na data de 07 de Dezembro de 1944 ocorreu a Sessão de Regularização do Triângulo Remanso presidida pelo Irmão João Carlos Begnis. Em 21 de Janeiro de 1947, o Irmão.’. Horácio Raposo Borges Filho* deu conhecimento através de minucioso relatório da entrega por parte do Pároco local do prédio da Loja Remanso que houvera sido emprestada graciosamente á Igreja Católica para funcionamento do Colégio Sant’Ângela sob a administração da Irmãs Ursulinas. Essa negociação foi conduzida pedido de Irmãos da Loja Remanso ante as primeiras negativas de devolução e foi conduzida por ele mais seis Irmãos da Loja.

                   Em comunicado feito pelo Venerável João Luiz Guerra ao GORGS em 08 de Fevereiro de 1947 fica claro que o prédio do Templo foi devolvido pela Igreja Católica, já estando portanto em poder da Loja naquela data. Em 1947 tomou posse, em 11 de Março. Foi regularizada como Loja, sob Carta Constitutiva de 22 de Agosto de 1953, em 19 de Setembro de 1953 pela Comissão Regularizadora nomeada pelo Ato 1014 de 05 de Setembro de 1953* composta dos seguintes Irmãos.’. Horácio Raposo Borges Filho, João Sabino Mena Barreto e Jorge Monteiro de Azevedo (em substituição a Isidoro Grassi.

                  Em vinte de fevereiro de 1960, após decisão tomada em reunião conjunta GORGS-GOB no Templo da Loja União Constante de Rio Grande em quinze de janeiro de 1960, mais uma vez o GORGS incorpora-se a Federação do GOB e as Lojas do GORGS voltam a receber cadastro do GOB, assim a Loja Remanso recebe o seu antigo Cadastro número 639.

 A partir do início dos anos 70 não há registros de mais nada significativo em termos de novas eleições até o abatimento de colunas em 26 /12/1972.

 O acordo GORGS-GOB foi desfeito em 28.05.1973, mas em 1972, em decreto expedido dia vinte e seis de dezembro, o Grão Mestre Frederico Renato Motolla através do decreto 7/72, decreta o Abatimento de Colunas várias lojas do interior gaúcho, entre estas está a Loja Remanso.

No início dos 90 os Irmaõs Hugo Schirmer,Nelson Ferraz Flôres, Alcides Ferraz Flôres e Cesar Alberto Lunkes e Demétrio Rodrigues Vasconcellos Neto, com a força proveniente do  retorno de Maçons locais adormecidos e contando com o inestimável apoio  do Delegado Antônio  Jorge Dreon Albuquerque e de seu Adjunto Mário Druck, reerguem as colunas da Histórica Loja Remanso em vinte e sete de agosto de 1993, sob a égide do GORGS, trabalhando inicialmente nos Templos das Lojas Luz e Trabalho e Rui Barbosa 3ª de Santa Maria e posteriormente reconstruído o Templo atual onde funciona até nossos dias.

Leia também

Geral

A entidade foi contemplada com R$ 2.500,00

Geral

O livro narra a história da Loja, além de contextualizar a maçonaria no mundo.