Nossas redes sociais

Digite o que você procura

Agronegócio

Raça Crioula se despede do criador Daniel Anzanello, fundador da Cabanha Santa Edwiges

Anzanello deixa uma trajetória e um legado que foram determinantes para o avanço da raça Crioula.

Daniel Anzanello foi ex-presidente da ABCCC. Foto: ABCCC

A Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) comunicou na manhã desta terça-feira o falecimento do sócio, criador e ex-presidente da Entidade, senhor Daniel Anzanello, ocorrido na noite desta segunda-feira (24/1). Anzanello deixa uma trajetória e um legado que foram determinantes para o avanço da raça Crioula nestes mais de 40 anos de envolvimento com o Cavalo Crioulo, além de uma série de amigos e admiradores do trabalho visionário e assertivo em sua criação. A cerimônia de despedida está sendo realizada hoje, na capela K do Cemitério São Miguel e Almas, em Porto Alegre/RS, com o velório marcado para as 14h. O enterro ocorre às 18h. 

A década de 1970 foi determinante para essa história junto à raça Crioula. Foi quando Anzanello deu vida a um sonho antigo, começando do zero e presenteando o filho (José Antônio) com suas primeiras éguas Crioulas. Mais especificamente em 1977 veio o RP 01, que deu início à história exemplar da Cabanha Santa Edwiges, localizada no município de São Lourenço do Sul/RS, e que leva esse nome devido à devoção do idealizador e de sua esposa, Laura, à santa protetora dos negócios. De lá até hoje, a própria história e os resultados obtidos falam mais (tendo conquistado, entre os afixos Santa Edwiges e JA, pelo menos dez Freios de Ouro e produzido o primeiro bicampeão do Freio, JA Libertador). Através da determinação e visão de Anzanello, o estabelecimento se tornou referência em termos de administração, genética e seleção da raça Crioula, contribuindo para a evolução da rça nestas mais de quatro décadas de existência. 

Contribuição que também foi marcada pela sua importante passagem na presidência da ABCCC, entre os anos de 1999 e 2001. Com uma administração considerada visionária, a gestão de Anzanello é reconhecida como uma verdadeira mudança de rumos na história do Cavalo Crioulo no Brasil, em razão de ter incentivado e promovido a expansão da visibilidade da raça e da cultura do Cavalo Crioulo pelo país através dos principais canais de mídia do ramo. Levando a raça a outros patamares de exposição, expandindo fronteiras, a sua atuação fez do criador um dos gestores de maior destaque para a entidade. Por esse e tantos outros motivos, também ficou marcado como o primeiro homenageado da Parede da Fama, espaço criado para reverenciar a trajetória daqueles que fizeram história na ABCCC, em 2017, ano em que também presencialmente recebeu, na sede da Cabanha Santa Edwiges, a visita da diretoria da Associação em um momento de carinho, gratidão e respeito à sua lição e trajetória inspiradoras. Com informações da ABCCC.

Leia também

Agronegócio

Um dia para ficar na história. A conclusão da 11º edição do Freio do Proprietário carrega o sentimento de resistência e dever cumprido. Além...

Agronegócio

Até 3 de outubro, o Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), vai receber os 87 conjuntos inscritos.

Agronegócio

O cavalo Reiuna Veneno reprodutor de pelagem gateada, nascido e criado em São Pedro do Sul na Cabanha Reiuna do criador Ricardo Bassotto, é...